Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6

Ainda era madrugada de quarta-feira (12) quando agentes e técnicos da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e policiais da Companhia Independente de Policiamento ao Meio Ambiente (Cipoma) seguiram em comboio de cinco veículos para o município de Lajedo, agreste de Pernambuco, com o objetivo de resgatar pássaros silvestres indevidamente negociados na feira local. Cerca de 15 pessoas participaram da ação que realizou ainda um "pente fino" nas residências da cidade para identificar acriação ilegal de aves como canário da terra, azulão, galo de campina e papa-capim, e apreender alçapões, estilingues ou baleadeiras, e gaiolas. "Esta ação de hoje é uma continuidade do trabalho que fizemos aqui em 2010, quando realizamos 27 autuações referentes a criação e comércio ilegal de pássaros silvestres", explicou o chefe do setor de fiscalização florestal da CPRH, Tiago Lima.

Durante a investida, foram apreendidas 33 aves das espécies caboclinho, salta caminho, azulão, garibalde, canário da terra e galo de campina. "O número de pássaros que resgatamos hoje foi menor do que em 2010. Isto quer dizer que o nosso trabalho de conscientização está funcionando", comemorou Tiago.

Resultados positivos também foram identificados na fiscalização em casas de farinha também em Lajedo, logo depois das intervenções na feira livre. Locais que antes tinham sido autuados por falta de licença ambiental e por uso de lenha nativa sem documentação, funcionavam de maneira legalizada e com lenha permitida para a queima nos fornos.

Pente Fino
Além da ação surpresa no comércio do "troca" no centro de Lajedo, as equipes da CPRH e Cipoma realizaram um trabalho de visita ao comércio local, a exemplo de casas de lava-jato, comércio de gás (GLP), armazéns de construção e comércio varejista de madeira.

Nestes setores, a intenção foi voltada à educação ambiental, com o acompanhamento de representantes da Unidade de Controle de Fontes Industriais, Comércio e Serviços - UCCS/CPRH. O resultado desta movimentação resultou em cinco autuações entre infrações e intimações. Quanto à fiscalização florestal, foram totalizadas, em Lajedo, quatro autuações, com destaque para duas apreensões de lenha nativa, ou seja, espécies que não podem ser negociadas sem a apresentação do DOF (Documento de Origem Florestal), como Jurema, Caatingueiro e Marmeleira. O uso deste material acarreta em multa de R$ 300 reais, de acordo com o Decreto Federal nº 6514/2008 que regulamenta a Lei de Crimes Ambientais.

Em paralelo a esta operação, outras duas equipes seguiram, sempre acompanhadas por unidades da Cipoma, para as localidade de Jupi e Jucati, situadas a pouco mais de 20 km de Garanhuns. Nestas áreas, junto ao trabalho de apreensão de passarinhos silvestres, a equipe da CPRH voltou as atenções para as casas de farinha que trabalhavam sem o devido licenciamento e até com a presença do trabalho infantil. "Não bastasse fazerem a farinha (de mandioca) sem estarem licenciados, percebemos que os funcionários estão sem EPI - Equipamento de Proteção Individual - algum e o pior, há menores atuando dessa forma e isso é inaceitável', destacou o técnico ambiental Iran Vasconcelos.

Em Jupi e Jucati, a conclusão da fiscalização apresentou três autuações em fábricas de farinha, fora as abordagens e resgates de aves silvestres criadas em casas dos lugarejos. A operação de fiscalização deste "Dia dos Namorados" rendeu ainda o flagrante de supressão de aproximadamente 2,2 hectares de vegetação nativa sem autorização, às margens da BR 232, em Caruaru, e o corte e transporte clandestino de 20 estereos (medida semelhante a 1 metro cúbico) de árvores nativas. Em ambos os casos, os envolvidos foram autuados.
Fogueiras
Com a vivência da época de festas juninas como Santo Antônio - comemorado nesta quinta-feira, 13 - e São João e São Pedro, a incidência de desmatamento, supressão de vegetação e também o comércio e transporte de lenha nativa aumenta por causa do costume da queima de fogueiras. Diante disso, a fiscalização ambiental da Agência, atenta a esta prática, está realizando ainda ações voltadas exclusivamente para coibir estes crimes ambientais em vários municípios de Pernambuco. A recomendação da equipe de fiscalização ambiental da CPRH é de que "comerciantes e compradores de madeira para as fogueiras observem se o material é proveniente de um corte autorizado ou se realmente é lenha do tipo exótica, como as árvores de algaroba, aveloz ou frutíferas, permitidas para o comércio", alertou o biólogo Gleidson Castelo Branco.

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL E EDUCAÇÃO AMBIENTAL - NCSEA
AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - CPRH 





Sobre erquison ferreira barboza

João Eliezio Santos Andrade (João Andrade), Trindadense por natureza. Dono de um olhar altamente Futurista, nasceu na Cidade de Araripina - PE aos 11 de maio de 1995. João Andrade tem 11 irmãos todos Filhos de Maria Odetiza dos Santos Andrade e de Gerson Brando de Andrade. Desde criança sonhava em ser comunicador. Na escola era o líder dos protagonistas, hoje presidente da única Associação de Radiodifusão no município de Trindade, luta desde o ano de 2010 por uma Radio Comunitária para a população.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

O espaço para comentários permite que aqueles que acessam este blog possam exprimir a sua opinião em relação ao tema tratado livremente de forma que não contenha qualquer tipo de crime, viole as leis do Brasil, divulgue produtos ou serviços e spams.

As opiniões expressas nos comentários não significam a posição do Blog João Andrade.