Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6

Criadores de abelhas sem ferrão do Projeto Pontal, na Zona Rural de Petrolina, no Sertão pernambucano, enfrentam dificuldades na produção de mel. A falta de chuvas faz com que as plantas não tenham folhas e nem flores, o que impede que os insetos possam fazer a polinização.

Em Petrolina existem cerca de 40 criadores de abelhas sem ferrão. No ano passado, eles conseguiram colher 80 litros de mel. Este ano ainda a produção não chegou aos 50 litros. Eles dizem que a escassez de chuvas provocou uma queda de até 70% na produção, já que desde o mês de maio deste ano não chove em Lagoa dos Cavalos, na Zona Rural do município.

A meliponicultura Sabrina Freitas tem uma criação com 20 colmeias com abelhas do gênero dos meliponídeos, que não possuem ferrão. Nos últimos meses, ao abrir as caixas, ela se depara com as melgueiras vazias. “Só em época de chuva que a gente consegue ter uma produção maior. Então a situação é triste para nós meliponicultores”, explica.

Para tentar evitar que as abelhas morram por falta de alimento, ou que abandonem as colmeias, os criadores adotaram algumas técnicas de sobrevivência. Uma das alternativas é o plantio de flores que ajudam na produção de mel ao redor do meliponário. Espécies como amor-agarradinho, flor de mel e mouringa só resistem à seca graças à irrigação. Elas chamam a atenção das abelhas.

Outro recurso utilizado pelos produtores é a alimentação artificial. Preparada à base de água e mel de abelhas com ferrão, uma mistura é colocada em pontos estratégicos das caixas com a ajuda de seringas. O meliponicultor Clefson Senna tem mais de 74 mil abelhas, divididas em 74 colmeias e garante que as técnicas funcionam. “Quando bate esse tempo de estiagem que não tem florada, a gente tem que entrar com alimentação artificial para manter esses enxames, para não vir a morrer e fortalecer esses enxames quando tiver as primeiras chuvas e florada, isso para que as abelhas mantenham a produtividade”, relata Clefson.

Fonte: G1

Sobre João Andrade

João Eliezio Santos Andrade (João Andrade), Trindadense por natureza. Dono de um olhar altamente Futurista, nasceu na Cidade de Araripina - PE aos 11 de maio de 1995. João Andrade tem 11 irmãos todos Filhos de Maria Odetiza dos Santos Andrade e de Gerson Brando de Andrade. Desde criança sonhava em ser comunicador. Na escola era o líder dos protagonistas, hoje presidente da única Associação de Radiodifusão no município de Trindade, luta desde o ano de 2010 por uma Radio Comunitária para a população.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

O espaço para comentários permite que aqueles que acessam este blog possam exprimir a sua opinião em relação ao tema tratado livremente de forma que não contenha qualquer tipo de crime, viole as leis do Brasil, divulgue produtos ou serviços e spams.

As opiniões expressas nos comentários não significam a posição do Blog João Andrade.

Assine