Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6

03/04/2016

Tomar decisões é uma ação inevitável na vida de qualquer profissional, independente da área que atua ou do nível hierárquico que ocupa. Foi-se o tempo em que a nossa divisão de trabalho permitia sermos colaboradores "adestrados" para o ato de operacionalizar, estilo Homer Simpson e o seu botão vermelho da fábrica do Sr. Burns. Decidir e sobretudo decidir bem se tornou ação fundamental na vida do profissional que não quer ver seus resultados minguarem ou escoarem pelos dedos ao fim de um período laboral. Mas como ser um bom tomador de decisões? Bem, em primeiro lugar precisamos estar cientes que as boas decisões processuais dentro de uma organização é o que maximiza resultados, eleva o respeito da marca no mercado, melhora o clima organizacional, leva a boas contratações e por aí vai. Dito isto precisamos conhecer a fundo a cultura da empresa em que trabalhamos e qual o conteúdo que compõe o seu Triângulo MVV: Missão, Visão e Valores, em seguida conhecer o terreno onde nossas resoluções vão ser tomadas e ter consciência que ter oportunidade de solucionar é ter oportunidade de desenvolver a nossa realidade organizacional para que a mesma atinja níveis positivos de desempenho. Por fim e tão importante quanto tudo que falei, precisamos ter autoconhecimento, pois, só nos conhecendo é que saberemos tomar decisões certeiras nos momentos corretos. Se conhecer é a base de nossa inteligencia emocional, quando nos conhecemos aprendemos a usar o nosso cérebro e a decidir com mais clareza, uma vez que as nossas emoções estarão domadas por nós mesmos. Quando nos conhecemos, sabemos onde queremos chegar e por que queremos chegar lá e saber o que quer meu caro é essencial para um solucionador de problemas. Parafraseando O Gato que Ri, personagem de Alice no país das Maravilhas "quando não sabemos onde queremos chegar, qualquer caminho serve" e quando "qualquer caminho serve" não costumamos decidir com a presteza exigida pelas organizações e na maioria das vezes nem decidir conseguimos. Não é que esquecemos o nosso coração quando nos conhecemos, mas aprendemos a domá-lo de forma racionais, sendo mais firmes em nossas decisões tendo maturidade para aceitamos as consequências das mesmas. 


Reflete aí: Um bom líder não é quele que prefere o cérebro ao coração, mas sim, aquele que prefere ter um coração racional.

Escrito por;
Administrador de Empresas
Professor de Administração
Recrutador de Talentos Humanos
Palestrante


Blog do João Andrade

Sobre João Andrade

João Eliezio Santos Andrade (João Andrade), Trindadense por natureza. Dono de um olhar altamente Futurista, nasceu na Cidade de Araripina - PE aos 11 de maio de 1995. João Andrade tem 11 irmãos todos Filhos de Maria Odetiza dos Santos Andrade e de Gerson Brando de Andrade. Desde criança sonhava em ser comunicador. Na escola era o líder dos protagonistas, hoje presidente da única Associação de Radiodifusão no município de Trindade, luta desde o ano de 2010 por uma Radio Comunitária para a população.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

3 comentários:

  1. Arrasou Joseph, adorei 😘😍

    ResponderExcluir
  2. Orgulho de ser sua aluna,um ótimo profissional e um excelente amigo,parabéns Joseph,lhe admiro bastante! ������

    ResponderExcluir
  3. Ounnt... Arrasou...😻só sendo o maior profissional e melhor mestre , Administrador 👏👏 melhor professor...💕

    ResponderExcluir

O espaço para comentários permite que aqueles que acessam este blog possam exprimir a sua opinião em relação ao tema tratado livremente de forma que não contenha qualquer tipo de crime, viole as leis do Brasil, divulgue produtos ou serviços e spams.

As opiniões expressas nos comentários não significam a posição do Blog João Andrade.