Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6


04/11/2017

Fuga ao tema é um deles; no ano passado, 46.874 candidatos tiveram suas redações anuladas porque cometeram este erro.

redação é decisiva no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Quem tira nota zero fica impossibilitado de participar de programas do governo federal como Fies e Prouni; e dificilmente consegue nota para disputar vagas nas universidades pelo Sisu.

Baixe o aplicativo G1 Enem, jogo de perguntas e respostas

Neste ano, uma decisão provisória da Justiça Federal proíbe que seja automaticamente anulada a redação que tiver desrespeito aos direitos humanos. Entretanto, o autor também não vai conseguir tirar a nota máxima na redação. A liberdade para desrespeitar os direitos humanos sem a anulação sumária é o tema de uma ação judicial movida pela Escola Sem Partido, que conseguiu aval provisório da Justiça Federal e é alvo de críticas pelo Ministério da Educação (MEC).

Veja 14 possíveis temas de redação e chute qual tem mais chance de cair

No ano passado, 84.236 pessoas ficaram com nota zero. Confira, abaixo, quatro itens que podem anular seu texto e entenda a polêmica sobre os direitos humanos:

1. Fuga ao tema

Não adianta escrever bem, ter ideias organizadas e fugir do tema proposto. Ele é muito claro e precisa ser seguido, assim como a estrutura dissertativo-argumentativa cobrada no exame.

"No Enem 2016 (quando o tema foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”), recebeu a rubrica fuga ao tema a redação estruturada integralmente em assunto não solicitado, ou seja, qualquer encaminhamento que não tratou do tema ou, pelo menos, de assunto a ele relacionado"

Foram exemplos de fuga ao tema em 2016 a abordagem, exclusivamente, de:

princípios e fundamentos doutrinários ou filosóficos das religiões
violência ou intolerância, de modo genérico, sem relação com a questão da intolerância religiosa
negação da existência de intolerância religiosa
ateísmo, como uma decisão de não vinculação a credos religiosos (já a defesa da prática do ateísmo, livre de preconceitos e de intolerância por parte de pessoas adeptas de alguma religião, no entanto, é argumento válido e está dentro da temática proposta, desde que mencionadas as formas de combate à intolerância religiosa)
proselitismo, como estratégia de convencimento e/ou defesa religiosa de qualquer espécie.

2. Texto insuficiente

Para conseguir pontuar, é necessário escrever mais de sete linhas. O texto será considerado insuficiente, se este limite não for respeitado. O mesmo vale para folha de redação deixada em branco, mesmo que haja escrito na folha de rascunho.

3. Cópia integral de texto motivador

O tema da redação vem acompanhado por textos motivadores para servirem de inspiração. Eles não podem ser copiados integralmente. O edital prevê que as linhas com cópia dos textos motivadores apresentados no caderno de questões serão desconsideradas para efeito de correção e de contagem do mínimo de linhas.

4. Parte desconectada

A redação do candidato que apresentar “parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto” também receberá nota zero.

São trechos como: reflexões sobre o próprio processo de escrita, bilhetes em geral (destinados à banca avaliadora, por exemplo), mensagens iniciadas por hashtag, mensagens de protesto, orações, mensagens religiosas, trechos de música, de hino, de poema ou de qualquer texto, desde que estejam desarticulados da argumentação feita na redação.

5. Assinatura

Também será anulada a redação que tiver assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante.

6. Lingua estrangeira

O manual do Inep também deixa claro que será anulado o "texto integralmente em língua estrangeira".

Polêmica sobre os direitos humanos

A decisão provisória da Justiça Federal que proíbe que seja automaticamente zerada a prova que tiver desrespeito aos direitos humanos anulou o item 14.9.4 do edital do Enem. Este item prevê nota zero para a redação que tiver “impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, bem como que desrespeite os direitos humanos.”

Apesar da decisão, o autor de frases contra os direitos humanos também não vai conseguir tirar a nota máxima porque respeitar os direitos humanos é uma das exigências previstas em outra parte do edital. É que os mil pontos da prova são divididos na análise de cinco competências (veja abaixo). 

Competências cobradas

As cinco competências são as regras básicas pelas quais os corretores da redação atribuem as notas aos candidatos do Enem. Cada uma vale no máximo 200 pontos, por isso a nota máxima da redação é mil. Veja quais são elas:

Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa.
Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.
Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Todas as redações serão corrigidas por dois avaliadores, assim como no ano passado. Caso a nota final de cada avaliador tenha discrepância de mais de 100 pontos, ou caso a nota de cada avaliador em uma das competências tenha discrepância de mais de 80 pontos, a redação passará por um terceiro avaliador.

Se a discrepância persistir, uma banca presencial com três professores avaliará a redação mais uma vez, para definir a nota final do candidato.

Título

O título é elemento opcional na produção da sua redação e será considerado como linha escrita. Porém, o título não será avaliado em nenhum aspecto relacionado às competências da matriz de referência.

Veja abaixo a definição do MEC para a prova de redação

" Na redação você deverá defender uma tese – uma opinião a respeito do tema proposto –, apoiada em argumentos consistentes, estruturados com coerência e coesão, formando uma unidade textual. Seu texto deverá ser redigido de acordo com a modalidade escrita formal da língua portuguesa. Você deverá, também, elaborar uma proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto que respeite os direitos humanos "

Por. G1 Petrolina

Sobre João Andrade

João Eliezio Santos Andrade (João Andrade), Trindadense por natureza. Dono de um olhar altamente Futurista, nasceu na Cidade de Araripina - PE aos 11 de maio de 1995. João Andrade tem 11 irmãos todos Filhos de Maria Odetiza dos Santos Andrade e de Gerson Brando de Andrade. Desde criança sonhava em ser comunicador. Na escola era o líder dos protagonistas, hoje presidente da única Associação de Radiodifusão no município de Trindade, luta desde o ano de 2010 por uma Radio Comunitária para a população.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

O espaço para comentários permite que aqueles que acessam este blog possam exprimir a sua opinião em relação ao tema tratado livremente de forma que não contenha qualquer tipo de crime, viole as leis do Brasil, divulgue produtos ou serviços e spams.

As opiniões expressas nos comentários não significam a posição do Blog João Andrade.

Assine