Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6

26/07/2018


Um fato ligado à classe artística de Trindade (PE), no Sertão do Araripe, vem causando grande controvérsia na cidade. Alguns artistas comunicaram ao Ministério Público local o que consideram “falta de respeito e discriminação” por parte da administração municipal.

Neste final de semana – quinta (26), sexta (27) e sábado (28) acontecerá em Trindade a 4ª Festa do Gesso. A parte festiva do evento contará com atrações musicais de renome nacional. O detalhe é que existe uma lei municipal (foto), sancionada no ano de 2010, ainda na gestão do ex-prefeito Gerôncio Figueiredo Silva, que tem como objetivo valorizar e priorizar artistas, grupos e bandas da cidade, exigindo o percentual mínimo de 50 % nas contratações de qualquer evento festivo ou tradicional. O projeto, à época, foi sugerido pelo músico Antony Sandey.

Em manifesto enviado a este Blog, os artistas de Trindade afiram que a organização do evento preferiu desrespeitar e violar a lei.

“Contrataram artistas nacionais um mês antes. Já os artistas da cidade, faltando apenas oito dias para o evento. Nenhum artista local foi comunicado e muito menos ouvido. A programação saiu faltando apenas três dias para a festa”, desabafam.

O manifesto informa ainda que na grade há apenas 20% dos cantores trindadenses. “Ficaram de fora artistas como Leizinho Jackson, Adriano Rocha, Big Jhow, Tony Silva, Antony Sandey, Dani Kalva, Ricardo Galvão, Mazinho e forró novo tom, entre outros, sendo que esses mesmos apoiaram a atual gestão nas eleições passadas, com promessas de que a cultura e as pessoas da cidade seriam valorizadas. Agora o que vemos é discriminação”, relatam.

Falta de incentivos

Segundo os artistas, Já faz dois anos que o carnaval não recebe incentivo, nem os festejos de São João e o aniversário da cidade. “Eventos que antes eram realizados com frequência. Queremos ser valorizados, principalmente em nossa cidade. Pedimos providências da justiça contra essa discriminação com os artistas locais. Queremos ser valorizados, principalmente em nossa cidade. Pedimos providências da justiça contra essa discriminação com os artistas locais, e que essa lei seja rigorosamente cumprida daqui pra frente, como manda a Constituição”, encerra o manifesto. A reportagem vai entrar em contato com a assessoria da prefeitura sobre o assunto.

Fonte Carlos Britto

Sobre João Andrade

João Eliezio Santos Andrade (João Andrade), Trindadense por natureza. Dono de um olhar altamente Futurista, nasceu na Cidade de Araripina - PE aos 11 de maio de 1995. João Andrade tem 11 irmãos todos Filhos de Maria Odetiza dos Santos Andrade e de Gerson Brando de Andrade. Desde criança sonhava em ser comunicador. Na escola era o líder dos protagonistas, hoje presidente da única Associação de Radiodifusão no município de Trindade, luta desde o ano de 2010 por uma Radio Comunitária para a população.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

1 comentários:

  1. Joãozinho, camarada! Sou um artista Trindadense que moro na Paraíba a 18 anos, e pelo que vejo, a população não se mobiliza para fazer uma verdadeira mudança no cenário politico, mesmo com os pequenos esforços da gestão atual nao vemos nada de surpreendente para nós, oportudade eles tem demais! Ex. Festa do gesso, como foi bem noticiado! Gostaria de ver uma reportagem sobre a UBD união brasileira de divulgação e vamos ter uma grande surpresa de alguns gestores de Trindade! Fica a dica. #euamotrindadepe

    ResponderExcluir

O espaço para comentários permite que aqueles que acessam este blog possam exprimir a sua opinião em relação ao tema tratado livremente de forma que não contenha qualquer tipo de crime, viole as leis do Brasil, divulgue produtos ou serviços e spams.

As opiniões expressas nos comentários não significam a posição do Blog João Andrade.

Assine