Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6

07/01/2020

O presidente Jair Bolsonaro decidiu ficar do lado das pessoas que acreditaram no Governo Dilma Rousseff em 2012 e investiram na geração de energia solar. Essas pessoas instalaram em suas casas placas fotovoltaicas para gerar energia que é colocada na rede convencional das distribuidoras e abater o valor na conta final. A decisão de Bolsonaro, entretanto, vai beneficiar essas 183 mil famílias e punir indiretamente mais de 120 milhões de consumidores que não produzem energia.

Isso se dá porque a lei permite que uma pessoa que tenha dois ou mais imóveis gere energia solar e faça a compensação na energia que tem na sua casa. Ou seja, ele gera em vários lugares e abate na conta de sua residência. O que as pessoas esquecem é que, para que a energia gerada em dois ou mais endereços chegue na casa do usuário, há um custo de transmissão. E que à noite torna a usar energia comum, e alguém teve que produzir.

Até 2019 esse subsídio era bem pequeno, mas o sucesso do programa criou um problema. Se tanta gente está gerando, a rede de transmissão está sendo mais usada e mais energia está sendo consumida à noite. É sobre isso que a Aneel quer refazer as contas.

Este ano, o consumidor normal vai pagar R$ 600 milhões na sua conta para quem tem benefício de geração solar. Ano que vem deve ser R$ 1 bilhão. Se não se fizer nada, em 2035 serão R$ 55 bilhões. O que a Aneel quer é que o sujeito que gera energia solar ao menos pague a transmissão pelo uso da rede e uma parte da energia que usar à noite. Foi sobre isso que Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre decidiram errado. Foram na onda dos que geram sua energia e dizem que foram estimulados a investir no projeto e que não podem ser punidos.

Quem já investiu pode até ter razão, mas quem está entrando agora não pode se aproveitar disso e não pagar nada. O que a Aneel fez foi propor uma série de escalas que isenta as pessoas até 2025 e cobra de quem vai entrar agora no sistema.

Essa é uma conta que precisa ser explicada pois alguém vai pagar pela transmissão e a geração. Pois como se diz a sabedoria popular, na existe almoço, ou melhor, transmissão de energia de graça.

Por Roberto Gonçalves

Sobre Blog João Andrade

João Eliezio Santos Andrade (João Andrade), Trindadense por natureza. Dono de um olhar altamente Futurista, nasceu na Cidade de Araripina - PE aos 11 de maio de 1995. João Andrade tem 11 irmãos todos Filhos de Maria Odetiza dos Santos Andrade e de Gerson Brando de Andrade. Desde criança sonhava em ser comunicador. Na escola era o líder dos protagonistas, hoje presidente da única Associação de Radiodifusão no município de Trindade, luta desde o ano de 2010 por uma Radio Comunitária para a população.
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

O espaço para comentários permite que aqueles que acessam este blog possam exprimir a sua opinião em relação ao tema tratado livremente de forma que não contenha qualquer tipo de crime, viole as leis do Brasil, divulgue produtos ou serviços e spams.

As opiniões expressas nos comentários não significam a posição do Blog João Andrade.

Assine